Rosto em close de Mark Shuttleworth, CEO da Canonical

A Canonical, empresa por trás do Ubuntu, uma das mais populares distribuições Linux, não deve iniciar o tão aguardado processo de abertura de capital este ano.

De acordo um jornalista do site TechCrunch, Mark Shuttleworth teria dito em uma conferência de OpenStack em Vancouver, no Canadá, que não está em posição para um IPO. “Vamos fazer a coisa certa no tempo certo. É preciso passar por todo um processo e isso é complicado. Sabemos que precisamos alcançar as metas de receita e crescimento, mas estamos no caminho certo”, afirmou o CEO e fundador da companhia baseada em Londres.

Em abril de 2017, a Canonical adotou mudanças drásticas em sua estratégia comercial. Seu principal produto, o Ubuntu, abandonou a interface gráfica Unity — desenvolvida internamente — para adotar novamente o Gnome, muito popular em outras distros. A empresa também encerrou o desenvolvimento do seu sistema operacional Ubuntu Phone para focar em Internet das Coisas e Computação na Nuvem, negócios que se provavam bastante lucrativos internamente nos últimos anos.

Shuttleworth destaca que a empresa está focada em atrair mais clientes de grande porte, como companhias do setor financeiro e de serviços para atingir os objetivos de curto prazo. “Nos tornarmos uma empresa de capital aberto, levando em conta que a maioria dos nossos clientes são instituições globais, nos torna também uma empresa global. Acho que seria ótimo para os membros do meu time serem parte de uma empresa pública. Dará bastante trabalho, mas não temos medo de trabalhar duro”, disse.

Comentários desativados. Podemos conversar por e-mail.