Logo do Google no topo de um prédio com céu azul ao fundo
Unsplash/pawel_czerwinski

O Google começou a testar no Brasil um novo recurso que permite aos usuários receber respostas geradas por inteligência artificial (IA) diretamente na página de resultados de pesquisa. A novidade, chamada de Experiência de Pesquisa Generativa (SGE, na sigla em Inglês), está em fase de testes e ainda não está disponível para todos os usuários.

Ao acessar a ferramenta, disponível no Search Labs, os usuários podem se deparar com um robô semelhante ao ChatGPT, permitindo uma interação mais aprofundada sobre o tema pesquisado. A resposta gerada pela IA não é exibida automaticamente na busca tradicional do Google, mas, ao seguir as etapas no Search Labs, os usuários podem desfrutar de uma experiência mais enriquecedora.

Para usar o Search Labs, é preciso estar logado numa conta do Google no Chrome (ou navegadores baseados em Chromium).

Mudanças na interface de busca

Com a implementação da SGE, as buscas no Google não se limitarão mais a simples links. Agora, ao formular uma pergunta, o usuário receberá uma resposta textual baseada nas principais informações disponíveis, acompanhada de links secundários para aprofundamento. Em alguns casos, a busca oferecerá a opção de “gerar informações gerais com tecnologia de IA”, proporcionando uma visão mais abrangente do assunto.

Pesquisa no google com pergunta como ingressar em um time de futebol feminino com respostas geradas por inteligência artificial
Google/Divulgação

O destaque dado ao texto gerado pela IA pode ser percebido no exemplo fornecido pela empresa, onde os links são relegados a uma posição secundária. Vale ressaltar que os anúncios permanecem inalterados e continuam a figurar no topo da página de resultados.

O objetivo por trás dessas inovações é tornar a pesquisa mais eficiente, reduzindo a necessidade de várias buscas sobre o mesmo tema. O Google afirma que a IA generativa pode auxiliar na organização de informações extensas, poupando os usuários do trabalho árduo de reunir dados dispersos.

Em declaração oficial, o Google enfatiza sua abordagem responsável na implementação de inteligência artificial generativa, destacando limitações específicas quanto aos tipos de pesquisas em que o novo recurso será exibido. A empresa busca equilibrar inovação com cuidado, prometendo uma revolução na forma como interagimos com as respostas de busca.

Expansão global do Search Labs

Anunciado pela primeira vez durante o Google I/O em maio, o Search Labs estava inicialmente disponível apenas nos Estados Unidos. Agora, mais de 120 países, incluindo o Brasil, têm acesso a esse laboratório de testes. Além do resumo baseado em IA, o Google introduzirá sugestões de perguntas para complementar a pesquisa e abrirá caminho para interações mais dinâmicas.