Logo da Red Hat na fachada de um prédio

A IBM anunciou, neste domingo (28), a compra da Red Hat por US$34 bilhões de dólares, a maior aquisição de uma companhia desenvolvedora de software na história. A transação foi feita em dinheiro por um valor de US$ 190 por ação da gigante de software livre.

Nos últimos anos, a Red Hat tem gerado lucros contínuos — com uma receita de US$ 2,4 bilhões em 2017 — e aprimorado sua estratégia de desenvolvimento e distribuição de seus produtos open source. Com o Linux dominando o mercado de cloud computing, é natural que uma empresa de grande porte como a IBM tenha interesse em juntar forças com outra líder do setor e correr atrás de fortes concorrentes como Google Cloud Platform, Microsoft Azure e Amazon Web Services.

Depois de finalizada a aquisição e do aval dos órgãos reguladores, a Red Hat deve operar de forma independente, como parte do time do Hybrid Cloud, e se beneficiar da forte presença da IBM dentro do mercado corporativo.

Ainda não se sabe como a nova parceria deve influenciar o projeto Fedora, distribuição Linux apoiada pela Red Hat e que serve como laboratório para as versões estáveis do sistema operacional Red Hat Enterprise Linux.

Comentários desativados. Podemos conversar por e-mail.