CEO Satya Nadella durante apresentação com tela mostrando Microsoft Loves Linux ao fundo

A Microsoft anunciou, nesta quinta (06), durante a apresentação da Microsoft Build 2019, que vai incluir o kernel do Linux no Windows 10, como parte do novo Windows Subsystem for Linux 2 (WSL 2).

Mas o que é o WSL, você pode estar se perguntando. É nada mais que o Bash on Windows, uma camada de compatibilidade que permitia rodar o Ubuntu e o Bash do Linux nativamente no sistema das janelas, mas agora com um nome novo.

De acordo com a Microsoft, o WSL 2 roda a versão 4.9 do kernel — a mesma usada nos servidores Azure. A novidade vai permitir maior compatibilidade, acelerar diversas atividades e, por exemplo, permitir rodar um container do Docker nativamente, sem a necessidade de inciar uma sessão separada em máquina virtual. Além disso, essa versão do kernel, que é baseada na versão LTS padrão, estará disponível em um repositório no Github.

Outra novidade que vai agradar os desenvolvedores é que o WSL 2 é compatível com o novo Terminal do Windows — um terminal que suporta prompt de comando, PowerShell e SSH, entre outros, além de ser customizável com temas e extensões.

O WSL 2 estará disponível, em caráter de testes, para os usuários que fazem parte do programa Windows Insider no final de junho. Uma versão estável deve ser lançada para os demais usuários até o final do ano.